Um Manual para ler Notícias

1
27
Livro "The news: A user's manual" (Notícias: Um manual do usuário), escrito por Alain de Botton. Foto: Divulgação.
Livro "The news: A user's manual" (Notícias: Um manual do usuário), escrito por Alain de Botton. Foto: Divulgação.
Livro “The news: A user’s manual” (Notícias: Um manual do usuário), escrito por Alain de Botton. Foto: Divulgação.

O filósofo e escritor suíço-britânico Alain de Botton, lançou recentemente o livro “The news: A user’s manual” (Notícias: Um manual do usuário). Em sua obra, De Botton, parte do pensamento de que a notícia ocupa na sociedade uma posição antes pertencente à religião. “Lemos notícias quando acordamos e quando vamos dormir”, afirma. “Certamente estamos numa época em que iniciamos o domingo lendo notícias em vez de ir à igreja”, completa.

Em seu livro o filósofo apresenta algumas dicas para os leitores que desejam aproveitar as notícias sem cair em suas armadilhas. Veja abaixo as principais delas:

01 – Tenha um motivo para ler: Quando lemos as notícias por passatempo, deixamos de pensar sobre as informações que recebemos e aproveitamos muito pouco do que lemos. Para fugir desse problema, o autor aconselha que façamos a nós mesmos duas perguntas antes de ler uma notícia: o que queremos saber e por quê?

02 – Enfrente seu tédio: Normalmente as notícias mais importantes são as mais áridas e de difícil absorção. No entanto, se damos atenção apenas para as reportagens de leitura mais fácil, continuaremos desinformados, mesmo após horas dedicadas as leitura de notícias.

03 – Tente aprender algo: Sempre após ler uma notícia, questione a si mesmo sobre o que aquela matéria agregou em você. Caso não lhe tenha servido para aprender nada, é bem provável que esteja lendo as notícias erradas ou as lendo superficialmente.

04 – Seja seu próprio editor: Os critérios utilizados por editores de jornais para selecionar os fatos mais importantes muitas vezes seguem os princípios editoriais de cada publicação. É claro que há notícias que por si só já são manchetes e portanto de interesse de todos, mas não podemos nos esquecer dos nossos interesses pessoais. Devemos procurar as informações que nos interessam, ainda que elas estejam no pé da página. Somos os livres para buscar o conteúdo que desejamos consumir.

05 – Acompanhe as grandes histórias: O jornalista é o historiador do presente. Através do seu ofício ele registra para as futuras gerações os acontecimentos que marcaram a história de um país ou mesmo do mundo. A maior parte das notícias que lemos não são senão, trechos de de narrativas bem maiores que no futuro serão compiladas por historiadores. Portanto devemos acompanhar as notícias diariamente como uma novela, ou mesmo como um quebra-cabeça que aos poucos vai revelando novas peças.

06 – Pense como um estatístico: O jornalismo se baseia em acontecimentos atípicos. Prova disso é o velho ditado conhecido nas redações: “Se um cachorro morde uma pessoa, não é notícia. Se uma pessoa morde um cachorro, aí sim é notícia”. Se nos basearmos apenas nas notícias publicadas nos jornais para formar nossa visão de mundo, teremos uma visão aterradora da atualidade. Portanto, tenhamos cuidado com as notícias que lemos diariamente.

07 – Busque bons exemplos: Apesar de nos apresentar as famosas Bad news (más notícias) o jornalismo também, ainda que em baixa escala, nos mostra Good News (Boas notícias). Pessoas que praticam boas ações, que vencem seus medos, que são bem-sucedidas, entre tantos outros exemplos, acabam tendo seu espaço nas notícias diárias. Nelas devemos nos espelhar e assim aprender a viver melhor.

08 – Não seja uma máquina de indignação: Não adianta ficarmos indignados por determinadas notícias ou declarações e não fazermos nada. Dessa forma nos tornamos verdadeiras máquinas de indignação em série, utilizadores compulsivos do CAPS LOCK, produtores de comentários agressivos e mal-educados. “As notícias deveriam nos ajudar a ter raiva pelos motivos certos, e a transformá-la em algum projeto construtivo”, ressalta Botton.

09 – Lembre-se das notícias de ontem: A novidade é uma das qualidades que uma informação deve ter para se tornar notícia nos principais jornais de um país. Entretanto, casos que até ontem eram sumamente importantes, desaparecem do noticiário no dia seguinte simplesmente por não ter sido descoberto nada de novo. É importante ficarmos sempre de olhos abertos e nos perguntarmos o motivo desses desaparecimentos repentinos.

10 – Não terceirize suas opiniões: o mito da imparcialidade jornalística sempre quis mostrar que o jornalista, apesar de ser um formador de opinião, apenas mostra para o leitor os dois lados de um caso e deixa para que cada um tire suas próprias conclusões. É claro que isso é uma verdadeira utopia, pois o simples fato de selecionar aquela notícia ou aquele entrevistado, já é um julgamento de valor. O importante mesmo é ler opiniões favoráveis e contrárias sobre um determinado assunto, pois assim você pode criar uma opinião mais equilibrada e instruída.

11 – Saiba quando se desconectar: Há dias em que as notícias não trazem nada de relevante ou original. Nessas ocasiões é mais produtivo procurar algo melhor para ler. Apesar de não podermos abandonar as notícias de vez, de vez em quando é bom sentir o prazer de estar desinformado por algumas horas. “Para ter uma vida fértil, é necessário reconhecer os momentos em que as notícias não têm nada importante ou original para nos ensinar”, afirma Botton.

* Artigo baseado em matéria escrita por Danilo Venticinque na Revista Época.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui