Filme: O Abutre

0
51
Louis Bloom entra para o mundo dos freelancers, mas deixa a ética de lado durante o seu trabalho jornalístico. Créditos: Divulgação
Louis Bloom entra para o mundo dos freelancers, mas deixa a ética de lado durante o seu trabalho jornalístico. Créditos: Divulgação
Louis Bloom entra para o mundo dos freelancers, mas deixa a ética de lado durante o seu trabalho jornalístico. Créditos: Divulgação

Quando entrei de férias da faculdade, fiquei pensando em utilizar o meu tempo com coisas produtivas. Procurei então na internet uma lista de filmes que abordassem temas convenientes ao jornalismo. Foi aí que vi uma matéria sobre um novo filme estrelado por Jake Gyllenhaal, que retratava a mídia sem limites.

O Abutre (Nightcrawler), conta a história de Louis Bloom (Jake Gyllenhaal) que após diversas tentativas fracassadas de conseguir um emprego, se entrega ao frio mundo dos freelancers. Correndo atrás dos mais sangrentos e violentos acidentes da cidade de Los Angeles. Bloom filma os acontecimentos na calada da noite e vende as imagens para um noticiário local sensacionalista. Porém, ao longo do filme a sede pelo sucesso de Bloom acaba ficando fora de controle, e ele se torna um verdadeiro abutre, frio e calculista.

O filme me deixou chocado, ao ver o quão longe o ser humano é capaz de ir para conseguir o que quer. Nota-se que há uma crítica interna a este tipo de jornalismo, embora o diretor do filme Dan Gilroy pareça não julgar os personagens, bem pelo contrário, ele concede toda uma atmosfera negra ao filme, onde quase todos os elementos parecem movidos pela ambição. Louis Bloom é apenas uma pequena peça numa luta de audiências que nos faz questionar toda a ética e moral do jornalismo sensacionalista e do público que o consome.

Créditos: Divulgação
Créditos: Divulgação

Enfim, O Abutre é um filme que eu recomendo para estudantes e profissionais da Comunicação. Pois ele nos faz refletir sobre o rumo que a mídia sensacionalista pode tomar e sobre o que o público se torna ao consumir esse tipo de material. Sem sombras de dúvidas, O Abutre deixa-nos perante um espaço citadino marcado pela corrupção das almas e dos corpos, contando com uma narrativa capaz de traduzir a pulsão deste território e a avidez dos protagonistas em conseguirem atingir o sucesso a todo o custo.

Assista ao trailler do filme clicando aqui.

Por Zeus Bandeira

Perfil do Autor

Zeus Bandeira

Acadêmico de Jornalismo na Universidade Federal do Tocantins. Estagiário da Assessoria de Imprensa da UFT. Colunista no blog O Correio Tocantinense. Muito interessado pelas mídias sociais, pretende se especializar na área para conquistar o sonho de trabalhar em um importante jornal online.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui