InícioNotíciasJornalistas ganham Nobel da Paz 2021 por defesa da liberdade de expressão

Jornalistas ganham Nobel da Paz 2021 por defesa da liberdade de expressão

Os jornalistas Dmitry Muratov e Maria Ressa participaram da fundação de veículos de comunicação independentes em seus respectivos países.

Foto: Pixabay

A Academia Real das Ciências da Suécia anunciou nesta sexta-feira, 8 de outubro, os vencedores do prêmio Nobel da Paz de 2021. Os escolhidos foram os jornalistas Dmitry Muratov e Maria Ressa, por seus esforços em defender a liberdade de expressão.

Segundo Berit Reiss-Anderson, presidente do conselho do Nobel, os laureados “são representantes de todos os jornalistas que defendem este ideal em um mundo em que a democracia e a liberdade de imprensa enfrentam condições cada vez mais adversas”.



A liberdade de expressão e a liberdade de informação ajudam a garantir um público informado

Ambos jornalistas participaram da fundação de veículos de comunicação independentes em seus respectivos países. O prêmio que será dividido entre os vencedores é de 10 milhões de coroas suecas, o equivalente a cerca de R$ 6,3 milhões.

“O jornalismo gratuito, independente e baseado em fatos serve para proteger contra o abuso de poder, mentiras e propaganda de guerra. O comitê norueguês do Nobel está convencido de que a liberdade de expressão e a liberdade de informação ajudam a garantir um público informado”, ressaltou a instituição.

Maria Ressa e Dmitry Muratov, vencedores do prêmio Nobel da Paz de 2021. Foto: Reprodução/Prêmio Nobel



Quem são os jornalistas premiados com o Nobel da Paz 2021?

A jornalista Maria Ressa é co-fundadora e diretora-executiva da ‘Rappler’, uma empresa de mídia digital de jornalismo investigativo nas Filipinas. “Ressa usa a liberdade de expressão para expor o abuso de poder, o uso da violência e o crescente autoritarismo em seu país natal”, afirmou a academia.

Já o jornalista russo Dmitry Muratov é um dos fundadores e editor-chefe do jornal independente ‘Novaya Gazeta’, que já teve seis jornalistas mortos desde a sua fundação, em 1993. Todas as mortes ocorreram após o presidente Vladimir Putin assumir o poder.

- Advertisement -
Emílio Coutinho
O jornalista e professor Emílio Coutinho criou a Casa dos Focas com o objetivo de ser um espaço para debate e divulgação de novidades no jornalismo.
- Advertisement -
Siga-nos
17,516FãsCurtir
8,137SeguidoresSeguir
2,588SeguidoresSeguir
Leia também
- Advertisement -
Novidades
- Advertisement -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui