Os bastidores da reportagem “O jogo suspeito e a queda de Ricardo Teixeira”

0
19

Realizada do dia 21 a 25 de outubro, no campus Liberdade e Morumbi, a II Semana da Comunicação da FIAM FAAM trouxe grandes nomes do jornalismo brasileiro para debaterem com os alunos o cenário atual, as técnicas utilizadas na elaboração de pautas e grandes reportagens, e claro, a situação do mercado jornalístico brasileiro.

No terceiro dia de palestras (23/10), o jornalista Julio Wiziack relatou os bastidores da série de reportagens “O jogo suspeito e a queda de Ricardo Teixeira”, trabalho produzido pelo jornalista com os colegas Filipe Coutinho, Leandro Colon, Rodrigo Mattos e Sérgio Rangel. A série contou com 20 reportagens publicadas pela Folha de São Paulo entre os dias 15 de fevereiro e 5 de junho de 2012, e foi contemplada com o Prêmio Esso de Jornalismo, principal prêmio do gênero no Brasil.

Julio relatou a diferença de enfoque, espaço e tempo que a Folha deu ao caso em relação à Rede Record, emissora que também investigou o esquema na CBF (Confederação Brasileira de Futebol) e a queda do presidente da entidade Ricardo Teixeira. O jornalista afirmou que não esconde o jogo às fontes falando sempre a qual veículo trabalha, pois o jornalista deve demonstrar confiança, preservar sua fonte, agir com a verdade, porém, sem promiscuidade.

E completou: “É preciso filtrar e manter sua independência profissional acima de sua relação social. Quando a fonte vira amiga, ela deixa de ser fonte”.

No cenário do jornalismo, Julio destacou que também há oportunidades no mercado, como por exemplo, as novas contratações na Folha que focam na análise e na opinião em cima dos assuntos abordados. Em uma era de “comodização”, o jornalista acha fundamental os veículos aprofundarem mais, principalmente o impresso, que necessita de um plus para atrair o leitor com a concorrência da internet.

E por fim, alertou os estudantes: “É importante identificar se a fonte é ou não interessada pela matéria para não se equivocar agindo na pressa”.

Por Ana Caroline de Aquino.

Leia também:

– José Hamilton Ribeiro e a fórmula da grande reportagem

– Quem já sonhou em ser um locutor de futebol?

– A vida do jornalista esportivo fora das quatro linhas

Perfil de Ana Caroline de Aquino
Ana Caroline de Aquino
Ana Caroline de Aquino Chaves, 20 anos, estudante de jornalismo (3° semestre) na FIAM FAAM, estagiária em assessoria de imprensa na Emplasa (Empresa Paulista de Planejamento Metropolitano SA), apaixonada pelo jornalismo futebolístico, e claro, pela transmissão de informação com conteúdo como um todo. Para mim, o jornalismo acima de tudo é questão de preposição: Antes de falar DE fale COM.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui