As cinco características do texto jornalístico

Em um seu livro “Linguagem jornalística” o jornalista e professor Nilson Lage listou algumas características primordiais que devem estar presentes em todo texto jornalístico.

0
120
Foto: Pixabay

O texto jornalístico é aquele que pode ser visto e lido em diversos meios de comunicação: jornais, revistas, rádios, televisão e até a própria internet. Por mais que existam diversos gêneros dentro deste ramo, algumas características devem ser aplicadas em todos eles, já que este é o tipo de texto mais consumido na atualidade.

Em um dos seus livros, intitulado “Linguagem jornalística”, o jornalista e professor Nilson Lage listou algumas características primordiais que devem estar presentes em todo texto jornalístico. Nos aprofundemos em cada uma delas:

1. O texto jornalístico é criado para o consumo imediato

Ao fazer um texto jornalístico, é necessário ter em mente que o leitor estará sendo informado sobre acontecimentos e fatos, e não contemplando as palavras que ali estão como ocorrem nos textos de literatura, por exemplo. Por isso, esse tipo de texto não precisa obter um conjunto rígido de regras nem atingir um grande número de palavras, pois o leitor fará um consumo imediato em busca de informação objetiva e de fácil entendimento, e não uma informação estética.

2. O texto jornalístico precisa ser constantemente submetido à crítica

Para impedir que o texto contenha sentidos que ninguém preste atenção, o texto jornalístico não deve se basear em fórmulas congeladas para a sua criação. Por isso, ele precisa ser constantemente submetido à crítica, pois, segundo Lage, essa crítica remove o entulho e repõe vida nas palavras. É mais fácil prender a atenção do leitor sobre um fato através da análise crítica do que fazendo variações significativas.

3. O texto jornalístico procura conter informação conceitual

Um dos principais deveres do jornalista é escrever o que de fato será compreendido. Mais do que isso, o texto precisa obter valores referenciais. Ou seja, não basta entender a situação, o leitor deve ter ciência do que essa informação leva. Por exemplo, ao informar sobre o assassinato de uma mulher por conta de ciúmes do seu companheiro, é interessante adicionar dados e estatísticas da frequência que acontece no país e no mundo. Dessa forma, o consumidor do texto compreenderá, além do fato isolado, a dimensão que o fato toma na sociedade.

4. O texto jornalístico precisa ser versátil

Muitas coisas acontecem no mundo ao mesmo tempo, e o texto jornalístico precisa conseguir falar sobre todas essas coisas através de uma mesma estrutura. Por isso, a sua descrição não pode se limitar ao fornecimento de formas rígidas, porque elas não dão conta da variedade de situações encontradas no mundo. É necessário conciliar o uso formal da língua com uma linguagem coloquial, espontânea, inspirada na versatilidade de acontecimentos que existem na sociedade.

5. O texto jornalístico não precisa seguir o uso formal da língua

O uso do “bom português” é muito valorizado por certas classes. No entanto, diferentemente do que já esteve em voga no jornalismo, ele teve que ceder espaço à língua falada nas ruas, pois o jornalismo precisa ser entendido. O texto jornalístico precisa ser compreendido tanto pela classe alta, quanto pela classe baixa, tanto pelos estudados, quanto pelos não estudados. É necessário saber usar a língua portuguesa no intuito de ser compreendido, antes de se preocupar em usá-lo de maneira formal. É evidente que para ser profissional, não é interessante utilizar gírias e palavras muito simples, porém é necessário fazer essa conciliação.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui