“Nunca na história do rádio o ouvinte foi tão ativo como agora”, destaca a jornalista Filomena Salemme

0
20
Com cinco prêmios em jornalismo no seu currículo, Filomena Salemme decidiu “trabalhar com rádio por amor, assim como dar aulas por amor”.
Com cinco prêmios em jornalismo no seu currículo, Filomena Salemme decidiu “trabalhar com rádio por amor, assim como dar aulas por amor”.
Com cinco prêmios em jornalismo no seu currículo, Filomena Salemme decidiu “trabalhar com rádio por amor, assim como dar aulas por amor”.

A bem-humorada e irreverente professora, jornalista e radialista Filomena Salemme foi uma das palestrantes da SECOM FAP 2014 (Semana de Comunicação da Faculdade do Povo). Seguindo o tema “Convergência das Mídias” Filomena explicou aos presentes que qualquer profissional de comunicação precisa ter noção de quem é o seu público e qual tipo de linguagem deve ou não ser utilizada.

Ela falou sobre a importância do produtor na rádio, destacando que esse profissional precisa aprender a ser criativo e inovador, pois o rádio é um veículo que passa por constantes inovações.

Segundo a docente, a tecnologia e a mídia trouxeram uma grande forma de interatividade do público com o rádio. “Nunca na história do rádio o ouvinte foi tão ativo como agora. A qualquer momento ele pode ligar, enviar mensagens e participar da programação”, complementou.

Filomena disse ainda que o radialista precisa ser muito claro ao transmitir a notícia e, além de tudo, a notícia precisa “prender” os ouvintes prontamente. Ela considera o público do rádio muito fiel.

A professora exibiu algumas matérias premiadas que produziu. Em uma delas, retrata a exploração do trabalho infantil no interior de São Paulo e mostra como um garoto de 12 anos conseguiu se aposentar por invalidez após furar o olho. “Essa entrevista que eu fiz com ele foi emocionante, mas eu tive muita dificuldade na hora de escolher uma trilha, até que uma amiga me mandou ‘ciranda cirandinha’ tocada no piano, que é uma música infantil, mas soa muito triste”. Ela ainda afirmou que sentiu muito prazer ao ver que sua reportagem ajudou aquele menino.

Amante do rádio, Filomena Salemme ressaltou que a essência do rádio é ser um prestador de serviço e brincou: “O rádio é um senhorzinho de 90 anos muito moderno, pois ele se acopla a todo o tipo de mídia”. Com cinco prêmios em jornalismo no seu currículo, a jornalista decidiu “trabalhar com rádio por amor, assim como dar aulas por amor”.

Por Ingrid Bossert

Perfil da Autora

Ingrid Bossert

Ingrid Bossert, estudante de Publicidade e Propaganda da FAPSP. Adora conhecer pessoas e lugares novos, está sempre pronta para aprender e não mede esforços para ver acontecer.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui