InícioCine FocaResenha do Filme "O Diabo veste Prada"

Resenha do Filme “O Diabo veste Prada”

A jovem Andy Sachs, personagem de Anne Hathaway, na comédia “O diabo veste Prada”, está empregada! E não é um emprego qualquer. Conseguiu uma colocação na Revista “Runway“, como segunda assistente pessoal de Miranda Priestly, em uma inesquecível interpretação de Meryl Streep.

(Foto: Divulgação)

A recém formada Andy conquistou um emprego que mais de “um milhão de garotas se matariam para ter”. Mas acredite: Andy está lá apenas para para iniciar na carreira. Desdenha o mundo fashion que Miranda, poderosa diretora da revista, é uma das patronas.

Já no começo do filme, Andy comete alguns erros básicos: vai para a entrevista e não procura se informar qual é o assunto que a “Runway” se preocupa em divulgar. Nunca ouviu falar da tal revista e nem quem seria Miranda Priestly.

– “O que você quer aqui?”, indaga Miranda à aspirante ao cargo.

– “Creio que faria um bom trabalho como sua assistente”, responde a hesitante Andy.

– “E você nunca leu a Runway e nunca ouviu falar de mim?”, fulmina Miranda!

– “Não…”, é a trágica resposta.

Seria o fim da sua entrevista e a esperança do emprego que a manteria em Nova York, não fosse a sua persistência que convenceu a tirana a contratá-la. Andy comemora com os amigos: “Viva os empregos que pagam os aluguéis!”.

Com o passar dos dias a novata descobriu que não seria bem assim. Além de ser um universo oposto aos seus objetivos profissionais, as exigências constantes da “lenda viva do mundo fashion” a desgasta e ela se vê obrigada a rever seus conceitos para segurar o emprego e provar a si mesma que seria capaz de superar aquilo tudo. Afinal manter aquele emprego seria também para ela, diversas janelas abertas para novas oportunidades.

A comédia é divertida. Meryl Streep, está impagável na personagem. Anne Hathaway, cativante. Convenhamos: A jovem Andy tem aspirações elevadas para a profissão escolhida. Tem ética, pontualidade, esforço e dinamismo de sobra. Mas como atingir o jornalismo almejado pela jovem em início de carreira e as exigências do mercado e da própria sobrevivência? Abrir concessão? Sim ela abre e por um momento se torna a “assistente fashion“, mas inteligente, que Miranda tanto sonhou em ter.

Até que um dia… a ética falou mais alto. A medida que ganhava confiança e crescia na editora, Andy destronava a primeira assistente, e contra sua vontade, lhe tira a chance de ir à Paris, na famosa Semana de Moda.

Na estadia na “Cidade Luz”, Andy descobre que tinha motivos de sobra para não querer fazer parte daquilo tudo. Vamos lá jovem jornalista! Você escolheu essa profissão por que tinha algo a dizer. O que seria?

O filme “O diabo veste Prada” nos traz uma mensagem importante e urgente aos iniciantes no mundo jornalístico. Onde estará o verdadeiro jornalismo? Sufocado em revistas de moda? Sufocado pelo brilho da “interessante” vida das celebridades? Quais eram seus objetivos como jornalista? Andy descobriu que não era somente ir à Paris Fashion Week os objetivos dela. Informar a sociedade talvez fosse o objetivo de todos nós. Claro, temos aluguel para pagar, quem não os tem?

Quando Andy joga na “Fonte dos Desejos”, o telefone linha direta com Miranda a jovem prova a si mesma, ser capaz de caminhar com as próprias pernas e seguir pelo próprio faro… e continuar pagando o seu aluguel.

Por Silvio Tadeu

Perfil do Autor

Silvio Tadeu é ator, jornalista, diretor e produtor cultural. Contato: http://silviotadeu.blogspot.com.br/

- Advertisement -
- Advertisement -
Siga-nos
17,611FãsCurtir
5,911SeguidoresSeguir
2,557SeguidoresSeguir
Leia também
- Advertisement -
Novidades
- Advertisement -

3 COMENTÁRIOS

  1. Achei incrível essa percepção em cima da temática do filme. Nunca havia parado para pensar nesse ponto de vista – eu só sabia contemplar Anne Hathaway.
    Seria uma honra se você fizesse uma resenha de Harry Potter e a Ordem da fênix, na qual o jornal “Profeta Diário” decide omitir e manipular muitas informações no mundo bruxo para que as pessoas não ficassem a par do que realmente estava acontecendo. Também o caso da jornalista Rita Skeeter que esbanjou seu lado sensacionalista e exagerado promovendo as notícias da forma como queria e não como elas realmente eram.

    Obrigado 🙂

  2. Oi Beto .
    Fico feliz que você tenha gostado .
    No momento estou preparando uma nova matéria, desta vez não sobre um personagem de filme, mas sobre …ah é surpresa !!!!
    Mas enviarei para a publicação em breve !!!!
    Suas sugestões estão anotadas !!!! Com certeza uma delas irei pesquisar, grande abraço e obrigado pela contribuição .

  3. Olá Silvio!
    Achei extremamente interessante a sua visão sobre o filme. Tive uma percepção totalmente diferente, porém através da sua análise pude avaliar que esta obra é muito mais complexa do que eu imaginava.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui