InícioDebate FocaSociedade da informação ou sociedade da ignorância

Sociedade da informação ou sociedade da ignorância

A World Wide Web, como todos sabem, foi criada por Tim Benrs Lee em 1991, com um único propósito. Informação para todos. A princípio sua ideia foi consolidada para facilitar a vida de milhares de pessoas conectadas pela rede mundial de computadores. Essa invenção mudou o rumo da história, por que foi através dela que surgiu a sociedade da informação, a velocidade e a cibercultura. Benrs não patenteou seu invento, ele queria que todos tivessem o acesso livre às informações. Contudo, o que antes não era problema, começou a preocupar em grande escala as autoridades, estudiosos, pais e escolas.

Existe tanta informação em um único meio, que estamos sendo bombardeados com a produção de tanto conhecimento. Aliás, falando em conhecimento, a informação produzida pelos meios não produz determinado conhecimento sobre tal assunto. Por exemplo, ao ler os noticiários da Folha.com ou do Estadão, estaremos cientes sobre tal assunto, mas não temos conhecimento sobre o mesmo. Pois conhecimento é desenvolvido com um olhar critico, com leitura e reflexões sob a sociedade. Nossa geração está cada vez mais vazia. Somos datados como a sociedade da informação, mas estamos ficando cada vez mais ignorantes. Lemos cada vez menos, sofremos de analfabetismo funcional, por que não sabemos pensar e produzir bons conteúdos.

O uso desenfreado das redes sociais pela população mais jovem é, sobretudo, uma mera indicação de que precisamos de controle. A internet nos permitiu inúmeras possibilidades de crescimento, agilidade, mas também provocou aspectos negativos, notamos isso quando vemos a inclusão digital se alastrando por todas as facetas da sociedade. A exemplo disso, observamos quando estamos em um ônibus e temos que ouvir uma música de um determinado sujeito que fez um download na internet e não se pondera a usar o fone de ouvido.

Não existe a chamada educação para a mídia. A internet é um campo novo, com apenas 22 anos de existência, não possui estudos suficientes na área científica. Precisamos educar nossos jovens para usá-la de forma moderada. A internet não nos deixa mais burros ou mais inteligentes, mas ela sem dúvida tornou-nos mais preguiçosos, e é claro, não podemos generalizar esse aforismo, por que tudo depende de como e com qual objetivo você vai utiliza- lá.

Por Bruna Ribeiro de Oliveira.

Leia também: Wikileaks: o site que revolucionou o mundo da informação

Perfil de Bruna Ribeiro de Oliveira

400710_490292617708634_548585281_n

Bruna é estudante da faculdade de jornalismo do Unasp, Engenheiro Coelho (SP). Nasceu no interior de São Paulo, e é apaixonada por jornalismo cultural e fotografia, mas também tem uma “quedinha” por história. Adora ler livros com qualquer tema, desde que a história seja interessante. Ama passar horas na internet, e lutar pelo meio ambiente, pelos animais e acima de tudo por nós, jornalistas.

- Advertisement -
- Advertisement -
Siga-nos
17,671FãsCurtir
4,589SeguidoresSeguir
2,537SeguidoresSeguir
Leia também
- Advertisement -
Novidades
- Advertisement -

1 COMENTÁRIO

  1. Acredito que em todas as áreas atuáveis, o numero de pseudos especialistas cresce em progressão geométrica. Essa propagação da informação rápida nos deixa acomodados a receber dados mastigados e nosso poder critico de analisar e perceber se isso é valido ou não para nossa vida se atrofia cada vez mais. A velha questão em ter a informação é ter poder se esbarrar no contexto produzido pela realidade das mídias sociais que todos tem acesso a informação mas apenas a minoria (minoria mesmo) se aprofunda pensa e reflete no tipo de dados que consome!

Deixe um comentário para Leonardo Netto Cancelar resposta

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui